Novamente menina

Depois de duas semanas em Bóston, achei que já merecia uma saída. A vida não pode ser só trabalho. Por isso dirigi-me a um barzinho, lá para a 49ª Avenida de que me falaram muito bem. Depois da mais alucinante viagem que fiz de táxi, acho que fui a Bagdade, quando parámos estava à porta do “La Fofure”.
Entrei e … o cenário não era de todo desconhecido, apesar de não ser o que tinha em mente para aquela noite. Mas já lá estava e certamente não sairia por desconforto, se o acaso me levara até ali, porque me haveria de privar de uma noite descontraída?
Deslizei até uma mesa pequena vazia, à esquerda da entrada, confiante, sentei-me e olhei em volta de forma discreta, o reconhecimento estava feito e os alvos definidos.
Deixei-me estar, sossegada, à empregada pedi um whisky, puro, como eu gosto das coisas. Não tardou que fosse abordada, primeiro pelo playboy de serviço, depois um casal “estranhíssimo”, que me fez lembrar gente conhecida. Estava desiludida, não era aquilo que estava à espera, o “La Fofure” não enganava, eu é que não estava para ali virada.
Foi então que ele me abordou, vi-o aproximar-se pelo canto do olho… passos seguros, ar misterioso, não era um homem muito bonito, mas tinha charme, muito, um ar inteligente, jovem, fresco… sensual! Gostei das mãos, foi a primeira coisa que reparei, gosto de mãos… a embalagem prometia e gostei do facto de não me dizer um qualquer piropo gasto e sem graça…
A um gesto meu, sentou-se, mas não a meu lado, à minha frente. Fiquei intrigada, teria medo de mim ou quereria olhar-me nos olhos? Ainda hoje não me recordo do que conversámos, acho que falámos de tudo, sem dizer nada ou será que não falámos de nada, dizendo tudo. Naquele momento senti-me estranha, foi um misto de completude e leveza, o meu coração parado e ao mesmo tempo com a sensação que explodia, ele era um estranho e eu já o conhecia, era eu que eu não me (re)conhecia.
Naquele momento quis que me tocasse, abraçasse e ao mesmo tempo receio, voltei a sentir coisas de que já não acreditava ser capaz, perdi o controlo da situação e de mim…

Tróia e CD


Este texto foi escrito a dois, dentro da ideia a que nos propusemos no outro dia, foi uma experiência, com várias partes… talvez a repetir (dks)

5 Respostas to “Novamente menina”

  1. Tróia Says:

    Cometeste um erro… CD e Tróia, deverias ter assinado assim!
    Gosto do nosso texto (posso chamar-lhe assim?). Tendo em consideração o tempo que demorou a ser escrito, a hora e o facto de ser o (quase) primeiro… acho-o bom (mas sou suspeita😉 ).
    (cks)

  2. Fontez Says:

    viajar de boston pra bagdad de taxi?
    puxa.
    a pinta pra um enredo continua viva aqui neste blog soberbo.
    mas sugiro o começo de um enredo de forma “branca” e conforme vao escrevendo vai-se preenchendo o “papel”. Entendeste sim carissimo Cdesag!😉
    bom fds caro.

  3. cdesag Says:

    Só para experimentar uma coisa. Tróia, esse “C” é de coelho?

  4. marta Says:

    Claro que é de coelho🙂

  5. fontez Says:

    T(róia) de Coelho?
    eheh

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: