Vibrar

Que sensação porreira, debaixo daquela arvore e áquela hora, julgo que nada nunca me soube tão bem…. era uma mescla de sensações, algumas que não sabia ser possivel “juntar” assim.
Havia uma frescura, tanto no tempo como em mim, é bom sentirmo-nos assim… acarinhadas, gosto destas caricias na minha face, deste jogo a duas mãos entre um arrepio frio do vento e o carinho quente do sol, em toda a minha pele.
Sinto as minhas pernas lançadas para longe. Como gosto deste vai e vem, cada vez mais intenso que me joga o corpo num estado de sensibilidade qual lugar sem espaço nem tempo, é tão bom… sinto-me como se fosse uma criança… num estado de graça… adoro esta felicidade que me invade o corpo em suaves safanões…
Mas hoje existe algo novo, existe aqui um movimento que não era costume, e que me deixa numa certa confusão sobre o que deva sentir, este vibrar não me trás qualquer paz… Começo a perceber o que se passa e tomo a decisão mais sensata, desta maneira não gosto, tenho de acabar com isto…
Amanhã chamo alguém para ver a dobradiça, esta vibração atrapalha-me o andar no baloiço, fico com medo de que se desfaça.

CD

7 Respostas to “Vibrar”

  1. Marta Says:

    Como sempre te digo, de vez em qd tens rasgos… este é um deles!
    Andar de baloiço… hummm… brilhante descrição!

    (mas aqui entre nós que ninguém nos ouve, dobradiça? onde é que ela está?)

  2. cdesag Says:

    Ou ficava dobradiça ou roldana, que foram as “peças” que me vieram à cabeça…
    satfgmtdt

  3. Marta Says:

    Entendo… tb ainda não cheguei ao nome técnico. Prefiro concentrar-me no movimento de vai e vem… no baloiçar!
    tbsatf… evet!!!

  4. magdasophia Says:

    Truz-truz, posso entrar e comentar?

    É interessante a ideia de novidade e o movimento vivo e vibrante.
    Mas o metaforismo, esse, supera as expectativas.
    A ideia da não-paz é de excelência. É, de facto, uma guerra.
    Gestos sublimes e nobre atitude tornam o escrito elevadíssimo.
    Permita-me a ousadia, mas não vou conseguir deixar de pensar nisto, até o conseguir entender.

    Posso deixar um abraço?🙂

  5. cdesag Says:

    Marta,
    Lembras-te de quando fomos andar de barco? Agora recordei-me, quando falaste do baloiçar… daquele embalar no ondular da água… pois, e agora o despertar, com o remo na tola😉

    magdasophia,
    Não sei porquê, sempre ficam com a ideia de que isto é um clube privado… não é. Podem e devem comentar conforme vos vá apetecendo, eu faço o mesmo😉
    “escrito elevadíssimo”, ok, já vi que se enganou no blog… de qualquer modo, gostava de aceitar o abraço.

  6. magdasophia Says:

    O meu comentário é sincero; Gostei MESMO do post.
    Atingiu o nível da excelência. Mexe com os sentidos. Tira-nos da Razão.
    Acho que vou entrar muitas mais vezes para relê-lo!

    Post Scriptum – Já enviei o abraço. É um abraço conservador. 2ª feira deve recebe-lo pelo correio!🙂

  7. cdesag Says:

    Obrigado, como diriam metade dos meus mais fieis leitores, de vez em quando parece que tenho rasgos… já lhe ouvi chamar outras coisas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: